Em tempos de crise, crescer é um grande desafio para negócios de todos os ramos. Para as redes de franquias, esse desafio assume duas frentes: a expansão de novas unidas e as vendas de produtos ou serviços.

Apesar das dificuldades, há redes que estão conseguindo se reinventar e encontrar estratégias eficientes para continuar crescendo nesse período.

Um estudo da Praxis Business com profissionais de diversos segmentos do franchising apurou que 83% dos entrevistados tiveram queda no número de pessoas interessadas em abrir uma franquia.

Ainda assim, algumas marcas têm encontrado espaço para manter sua expansão ativa. Entre as estratégias adotadas para atrair candidatos estão a flexibilização de taxas, descontos no valor de investimento e prorrogação de prazos.

Já no campo das vendas para o consumidor final, medidas como sistema de delivery, vendas via e-commerce e atendimento online ajudam a driblar os efeitos da crise, mantendo as operações dos franqueados.

Além disso, franquias em segmentos de alta demanda também chamam a atenção nesse momento – tanto na busca pelos produtos/serviços quanto por novas franquias.

A seguir, você confere algumas franquias que continuam crescendo, mesmo em meio à crise. As informações são divulgadas pelas redes.

Grupo Kalaes

 

 

Responsável pelas franquia Instituto Ana Hickmann, Maislaser e Odonto Special, o Grupo Kalaes implementou uma estratégia de descontos nas taxas de franquia e tem obtido bons resultados.

No total, as marcas do grupo conquistaram seis novos franqueados com as condições especiais de investimento. Foram três novos contratos na Odonto Special, dois no Instituto Ana Hickmann e um na Maislaser.

Odonto Special

Investimento inicial: R$ 260.000 a R$ 270.000
Faturamento médio: R$ 150.000
Prazo de retorno: 18 a 24 meses

Instituto Ana Hickmann

Investimento inicial: R$ 280.000
Faturamento médio: R$ 110.000
Prazo de retorno: 18 a 24 meses

Maislaser

Investimento inicial: R$ 470.000
Faturamento médio: R$ 120.000
Prazo de retorno: 15 a 20 meses